Previous Next

A partir desta data (19/5), o Juiz de Direito, Dr. Leoberto Brancher reassumirá a coordenação do Núcleo de estudos de Justiça Restaurativa da Escola Superior da Magistratura (ESM).

 A  co-coordenação do Núcleo ficará a encargo da Juíza de Direito do juizado de violência doméstica  da comarca de Novo Hamburgo, Dra. Andrea  Cenne e  do  responsável pelo Centro Judicial de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) de Porto Alegre, o juiz de Direito, Dr. Fábio Heerdt.

Em 13 de agosto de 2004, foi fundado o Núcleo de Estudos de Justiça Restaurativa da ESM.  

O núcleo surgiu, por  iniciativa  de  um  grupo de estudos formado por juízes e pessoas ligadas à infância e a juventude, que mais tarde, inspirariam  o Projeto  Justiça XXI, o qual  surgiu primeiro como piloto, ainda no ano de 2005, introduzindo a Justiça Restaurativa no Brasil.

Em 2015, o  Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ) institucionalizou a Justiça Restaurativa como política judiciária e desde então,  o projeto passou a ser  conhecido como o Programa Justiça Restaurativa  para o Século XXI, espaço de encontro do movimento.

Atualmente, o  Núcleo de Estudos é um espaço de reflexão, de leituras, de troca de materiais e partilha das experiências. 

As reuniões estão abertas à participação de todas as pessoas interessadas em conversar sobre a temática da Justiça Restaurativa, conhecer experiências exitosas e contribuir com a difusão da cultura da paz e da transformação dos conflitos.

Para receber as mensagens e os comunicados do Núcleo, é necessário encaminhar pedido de inscrição, informando nome, endereço, telefones de contato e e-mail, para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Previous Next

O Núcleo de Justiça Restaurativa realizou nesta sexta-feira (16), na Sede da Escola da AJURIS, uma reunião sobre a utilização das práticas circulares no âmbito da execução penal, a partir da experiência da Unidade de Referência em Justiça Restaurativa do Presídio Central de Porto Alegre e da Superintendência dos Serviços Penitenciários (SUSEPE). A Justiça Restaurativa aplicada ao Presídio Central de Porto Alegre se refere a restaurar o individuo infrator para auxiliar na ressocialização na sociedade. O trabalho já é adotado em 15 estados do Brasil. A reunião contou com a presença do coordenador do Núcleo Dr. Afonso Armando Konzen e do Dr. Leoberto Brancher.

Em geral, a reuniões ocorrem todas as segundas sextas-feiras de cada mês, a partir das 14h, na Rua Celeste Gobbato nº 229, Porto Alegre, sede da Escola da Magistratura.

Dia: 16/9 (sexta-feira)
Horário: Das 14h às 16h
Pauta:
Comunicações;
Diálogo sobre a utilização das práticas circulares no âmbito da execução penal, a partir da experiência da Unidade de Referência em Justiça Restaurativa do Presídio Central de Porto Alegre e da SUSEPE;
Assuntos gerais.

Manifestação de interesse até 15/9 (quinta-feira) pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

 

Encontro de Facilitadores de Círculos Restaurativos

Objetivo: conversar sobre os casos atendidos

Coordenação: Rafaela Duso

Dia e local: 1ª terça-feira de cada mês, às 16h, na Escola da Magistratura.

Condição para participar: para pessoas com formação e atividade nas práticas circulares, mediante prévia manifestação de interesse, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

 

O Núcleo de Estudos é um espaço de reflexão, de leituras, de troca de materiais e partilha das experiências. Fundado com base nos princípios, valores e formas de proceder da Justiça Restaurativa, o Núcleo é o lugar de encontro de pessoas interessadas em conversar sobre a temática, mostrar e conhecer experiências e contribuir para a difusão da cultura da paz, da não-violência e da transformação dos conflitos. Um lugar para pertencer.

Página 1 de 2